Gestão de Risco de forma simples

Muitas pessoas não têm muita simpatia à Gestão de Risco por entenderem que precisam conhecer profundamente estatística. De fato, aquelas pessoas que pretendem fazer uma análise mais aprofundada de Gestão de Risco precisam mergulhar na análise quantitativa dos riscos e isso vai significar ter um domínio das principais distribuições probabilísticas e que está dentro do estudo da estatística.

No entanto, é possível de fazer uma Gestão de Risco sem necessitar realizar numa análise quantitativa e realizar uma análise qualitativa dos riscos, ficando no campo mais subjetivo, mas já é bem melhor do que não se fazer nada, e já será de grande valia para os projetos organizacionais.

RISK CANVAS

Hélio Costa, dono da empresa RISK PRO, criou o Risk Canvas, onde é possível fazer a Gestão de Risco de forma simples e sem necessitar de grandes recursos. Basta imprimir o modelo em papel de tamanho A0 ou A3 e reunir a equipe. Este canvas simplifica o processo de Gestão de Risco e como o canvas é uma ferramenta visual as pessoas ficam mais atraídas pelo processo.

No Risk Canvas é possível tanto trabalhar com ameaças como também com oportunidades. Para preencher o canvas é necessário utilizar post-its e como serão identificadas ameaças e oportunidades é recomendado utilizar duas cores diferentes de post-its.

Figura 1 – Risk Canvas

BLOCOS DO RISK CANVAS

O Risk Canvas possui 8 blocos como pode ser visualizado na figura 1.

Bloco 1 – Ameaças: são os riscos identificados que podem afetar negativamente os objetivos do projeto.

Bloco 2 – Oportunidades: são os chamados riscos positivos que o projeto pode tirar algum proveito caso o risco ocorra.

Bloco 3 – Análise antes do tratamento: é a etapa da análise qualitativa dos riscos, tanto das ameaças quanto das oportunidades, quanto a sua probabilidade e impacto. Para que o time tenha um entendimento comum, antes de se realizar essa etapa se faz necessário definir os que se considera como probabilidade baixa, média e alta e fazendo a mesma coisa para impacto, por exemplo, o que se entende para custo e prazo impacto baixo, médio e alto.

Bloco 4 – Fazer antes: nesta etapa serão identificadas as ações que serão feitas de forma proativa de modo a eliminar o risco ou minimizar sua probabilidade e/ou impacto para ameaças, e também para as oportunidades o que pode ser feito de forma proativa que o risco ocorra aumentando a probabilidade e/ou impacto para que o projeto possa usufruir.

Bloco 5 – Fazer depois: caso a opção seja de aceitar o risco e não ter nenhuma resposta proativa, as ações serão listadas nesta etapa caso o risco se materialize. E adicionalmente, é possível ter uma ação complementar em conjunto com a etapa 4, já que podemos ter um resíduo de risco, na qual é chamado de risco residual.

Bloco 6 – Integração: com as respostas identificadas será necessário fazer alterações em seus planos, e nesta etapa são identificadas as áreas que serão impactadas e precisarão de atualização.

Bloco 7 – Responsável: são aquelas pessoas designadas responsáveis por monitorar o risco e colocar as ações em prática.

Bloco 8 – Análise após o tratamento: após a elaboração das ações do Bloco 4, alguns riscos podem ter sido eliminados ou minimizados em relação a probabilidade e impacto. Nesta etapa será feita a análise qualitativa dos riscos após a etapa do Bloco 4.

Importante destacar que o processo de Gestão de Risco é colaborativo e não apenas do Gerente de Projeto, que muitas das vezes não possui o conhecimento técnico e precisa ser auxiliado pela equipe.

Uma forma de preencher o Risk Canvas é promover um workshop de risco com a equipe, tendo o Gerente de Projeto como facilitador.

EXEMPLOS PRÁTICOS

Nas figuras 2 e 3 são mostrados como foi feito o preenchimento do Risk Canvas para um projeto de viagem à Disney e fábrica de tinta, respectivamente.

Figura 2 – Viagem à Disney

Figura 3 – Fábrica de Tinta

No vídeo abaixo é explicado pelo criador do Risk Canvas, Hélio Costa, a explicação do preenchimento o Risk Canvas.

https://www.youtube.com/watch?v=JFsPyNRUoJ0&feature=emb_logo

O template do Risk Canvas poderá ser feito o download do site da Risk Pro ou do site do Blog Gerenciando Riscos em Projetos na sessão ferramentas, clicando aqui.

CONCLUSÕES FINAIS

Mesmo sendo recomendado que se faça uma análise quantitativa dos riscos em projetos, é possível gerenciar os riscos de forma subjetiva e ter resultados, como demostrado nos exemplos acima.

Para aqueles que desejam mergulhar mais profundamente na análise de risco quantitativa dos riscos, fica duas recomendações:

1) Leitura do livro – Gerenciamento de Risco em Projetos – do autor Guilherme Calôba, disponível no site da Amazon.

Figura 4 – Livro Gerenciamento de Risco em Projetos

2) Treinamento de Gerenciamento de Risco com Simulação de Monte Carlo, que os detalhes está disponível na sessão Treinamento Online no site do Blog Gerenciando Riscos em Projetos, clicando aqui.

Figura 5 – Imagem do Treinamento Gerenciamento de Risco com Simulação de Monte Carlo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *