PMBOK ou PRINCE2: concorrentes ou complementares?

Há varias metodologias e padrões de Gerenciamento de Projetos no mercado, tanto para métodos ágeis quanto para o método tradicional. Falando especificamente no método tradicional, destacam-se a metodologia PRINCE2 e o Guia de Boas Práticas em Gerenciamento de projetos, conhecido como PMBOK Guide, do PMI.

Ao contrário que muitas pessoas pensam, a metodologia PRINCE2 é a mais utilizada no mundo e tem praticamente o dobro de profissionais certificados ao se compararmos a certificação PMP do PMI. Já no Brasil, ainda predomina-se o padrão do PMI, o PMBOK, mas o PRINCE2 vem crescendo bastante.

Ao comparamos o PMBOK Guide e PRINCE2, podemos afirmar que o PMBOK é baseado em processos e muitas ferramentas e técnicas, já o PRINCE2 é baseado em princípios, processos, temas e adequação do projeto.

O PMBOK Guide Guia de Melhores Práticas do PMI, não diz como fazer e sim o que fazer, com todas as suas ricas técnicas e ferramentas. Já no Manual do PRINCE2, Gerenciando Projetos de Sucesso com Prince2, ele não diz o que fazer, mas diz como fazer.

Fazendo uma analogia com um projeto de um bolo, o PMBOK fornecerá a receita, já o PRINCE2 irá dizer como fazer. Ao juntarmos o que é de melhor em cada metodologia na condução dos projetos, teremos muito a ganhar. E é importante ressaltar que as duas metodologias não são concorrentes e sim complementares.

Já imaginou se pudéssemos unir o útil ao agradável? Que tal unir “o que” fazer com “como fazer”?

Diferenças PMBOK e PRINCE2

No PMBOK Guide 5 ª edição há 47 (quarenta e sete) processos compreendendo as suas 10 (dez) áreas de conhecimento e as fases dos projetos de iniciação, planejamento, execução, monitoramento e controle e encerramento. Na 5ª edição do PMBOK foi inserida a área de conhecimento gerenciamento das partes interessadas. No padrão PMI, o responsável pelo sucesso ou fracasso do projeto é o Gerente de Projetos.

Figura 1 – Processos PMBOK 5ª Edição – Projectlab

Já o PRINCE2, é uma estrutura bem mais enxuta, enquanto que o PMBOK possui 47 (quarenta e sete) processos, o PRINCE2 possui 7 (sete) processos: Starting Up a Project (SU), Directing a Project (DP), Initiating a Project (IP), Managing a Stage Boundary (SB), Controlling a Stage (CS), Managing Product Delivery (MP) e Closing a Project (CS). Há ainda 7 (sete) temas, que poderíamos comparar como as áreas de conhecimento do PMBOK Guide, e os 7(sete) princípios, onde estes existem e não podem ser adaptados e regem o ambiente controlado que o PRINCE2 prega. O responsável pelo sucesso ou fracasso do projeto, ao contrário do PMBOK Guide, que afirma que é o Gerente de Projetos, no PRINCE2 é o comitê diretor do projeto, que é composto por um executivo, usuário(s) principal (is) e fornecedor (es) principal (is).

Figura 2 – Processos Prince2 – Management Plaza

Figura 3 – Organização Prince2 – Blog Fábio Cruz

Embora a estrutura do PRINCE2 seja mais enxuta que o PMBOK, o Prince2 possui uma governança muito melhor que prega o PMBOK Guide.

Enquanto o PMBOK há um Plano de Gerenciamento de Projeto que guia a execução até o fim do projeto, o PRINCE2 utiliza o gerenciamento por estágios, que é um dos seus 7 (sete) princípios e o Gerente de Projetos é apenas autorizado pelo comitê diretor a executar um estágio por vez. E ao final de cada estágio é avaliado o resultado do estágio que foi previamente autorizado e o comitê diretor avalia se o projeto continua viável para prosseguir com o próximo estágio ou encerra o projeto prematuramente.

Outro princípio que é utilizado é o Gerenciamento por Exceção, onde pode haver tolerâncias de escopo, prazo, custo, qualidade, risco e benefício, e é estipulado tolerâncias para o comitê diretor, que responde pelo projeto, para o gerente de projeto, que responde pelos estágios e o gerente da equipe especialista, que responde pelos pacotes de trabalho. Caso alguma tolerância exceda ou esteja para exceder, é escalado o problema para a instância superior, que decide o que fazer, onde poderá tomar uma ação corretiva. O Gerenciamento por Exceção reforça a governança de que o projeto não tenha grandes desvios, e é sempre guiado por um Business Case válido e viável e que traga valor tanto para a área de negócios quanto cliente.

O que é melhor, o padrão PMBOK Guide ou a metodologia PRINCE2?

O PRINCE2, como dito anteriormente, não há ferramentas é técnicas como o PMBOK Guide, só possui duas técnicas: Plano de Revisão de Benefícios e o Planejamento Baseado em Produtos. Já o PMBOK Guide possui muitas ferramentas úteis a serem aplicadas no projeto, mas não é tão forte na governança como o PRINCE2.

Ao compararmos o padrão PMBOK Guide e a metodologia PRINCE2, Não existe o melhor. Ambas são complementares. Ao se extrair as vantagens e o que há melhor de cada um, os projetos estarão ganhando. O próprio PRINCE2 faz referências às técnicas utilizadas no PMBOK Guide e no PMBOK Guide faz referência as outras metodologias/padrões de Gerenciamento de Projetos.

Padrão ou metodologia?

Muitas pessoas pensam que tanto o PMBOK Guide quanto o PRINCE2 são metodologias. O PMBOK Guide deixa claro em suas primeiras páginas que é um padrão e não uma metodologia. Já o PRINCE2 é uma metodologia.

Certificações

Assim como o PMI é dono do PMBOK Guide e possui as suas certificações profissionais, o dono do PRINCE2 é AXELOS e também possui suas certificações. Para a certificação profissional de projetos, o PMI possui CAPM e PMP, e para o PRINCE2 possui as certificações em níveis: Foundation, Practitioner e Professional.

Para se manter as certificações do PMI é necessário acumular no período de 3 anos, uma quantidade de PDUs (Professional Development Unit), para PMP são 60 PDUs e não requer fazer uma nova prova.

Já para o nível Practitioner do PRINCE2, a cada 5 anos é necessário fazer um reexame para manter a certificação. Para o nível Foundation não é necessário fazer um reexame.

Para maiores informações sobre as certificações do PMI, acesse o site do PMI.

Para maiores informações sobre a certificação de PRINCE2, acesse o site da AXELOS.

Os cursos de MBA em Gerenciamento de Projetos

No Brasil o padrão PMBOK Guide está muito mais difundido do que a metodologia PRINCE2. Na maioria dos cursos de MBA de Gerenciamento de Projeto é dada a abordagem do PMBOK Guide sem serem citadas outras metodologias, como o PRINCE2. Já houve algum avanço, alguns professores já citam o PRINCE2 e outras metodologias, como o Project Model Canvas, mas ainda há muito que melhorar. É necessário que as pessoas não fiquem restringidas apenas no padrão do PMBOK Guide, é necessário adquirimos o conhecimento fora da caixa do PMI. Com isso, todos sairão ganhando, inclusive em conhecimento.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *